Atualmente os exames atidoping realizados no mundo esportivo são feitos com amostras de urina ou sangue dos atletas. Isso possibilita a checagem do uso de substâncias em um período próximo a realização da testagem.

Diante de um cenário mundial de aumento no número de casos de doping comprovados, especialistas apontam que uma solução para isso seriam os exames toxicológicos de larga janela de detecção. Esse tipo de exame identifica a presença de substâncias psicoativas que se depositam nos fios de cabelo ou pelos por um período mínimo de 90 dias até seis meses, permitindo a avaliação de hábitos de consumo dessas substâncias pelo doador.

Dessa forma, substâncias proibidas poderiam ser identificadas com maior assertividade e num período de tempo maior, possibilitando entender se o atleta está de fato fazendo o uso de substâncias rotineiramente, não só no período da competição.