Em um comunicado à imprensa nesta terça-feira (14), a Pfizer anunciou que dados mais atualizados sobre seu tratamento experimental com uma pílula contra a Covid-19 apontam que o medicamento reduz o risco de hospitalização ou morte pela doença em 89% se administrado a adultos dos grupos de risco poucos dias após seus primeiros sintomas.

A ideia da Pfizer é poder eventualmente oferecer os comprimidos, chamados de Paxlovid, para as pessoas tomarem em casa antes de ficarem doentes a ponto de precisarem ir ao hospital.

Além disso, a empresa diz que espera que a droga consiga conter a atividade de variantes como a Ômicron, porque a droga bloqueia uma enzima envolvida na replicação do vírus. Isso é diferente da proteína spike na superfície do vírus, cujas numerosas mutações aumentaram a preocupação global em torno da variante.